Receba dicas grátis!

E-mail marketing e fluxo de nutrição – veja as principais diferenças entre eles

Quando o assunto é estratégia de marketing, logo vem a questão: e-mail marketing ou fluxo de nutrição?

É evidente que o e-mail marketing é uma poderosa ferramenta de marketing digital, capaz de construir e manter um relacionamento com os leads. No entanto, apenas enviar newsletters, novidades e informações para a sua base não é eficiente, e realizar a segmentação considerando o interesse de cada lead e seu atual momento de compra pode ser muito trabalhoso.

É nesse ponto que o fluxo de nutrição entra na sua estratégia de marketing a fim de ajudar o seu negócio a ter um crescimento mais escalável.

Para entender melhor, conheça neste post os principais pontos de diferença entre e-mail marketing e fluxo de nutrição.

Timing no envio da comunicação

A primeira diferença notável é em relação ao timing de envio dos e-mails, ou seja, quando enviar um determinado material para o lead.

Enquanto as campanhas de e-mail marketing partem do princípio de que todos os destinatários possuem interesse naquele tema e naquele momento, independente das ações que tenham realizado, em um fluxo de nutrição isso não acontece.

Ao planejar o fluxo de nutrição criam-se e-mails associados a perfis de segmentação e quando o lead atinge um determinado perfil através de uma ação realizada, ele começa a receber imediatamente os e-mails daquele fluxo específico. Em outras palavras, é como se o próprio lead definisse qual e-mail receber e em que momento, de acordo com as ações que ele realiza.

Adequação ao estágio do funil de vendas

Não é inteligente enviar uma campanha de e-mail marketing para toda a sua base, sem considerar os diferentes estágios de compra dos leads.

Por exemplo, uma campanha de meio e fundo de funil não será eficiente para toda a sua base, afinal, uma parte dos seus leads simplesmente não está nessa fase de compra e não é um e-mail que vai convertê-lo a cliente.

Esse tipo de segmentação pode ser feita no e-mail marketing, mas certamente exigirá tempo e muito trabalho da sua equipe de marketing, sobretudo se a base de leads for grande.

O fluxo de nutrição permite realizar um envio mais direcionado, enviando o material certo, para o lead certo e no momento certo, de forma mais inteligente e automatizada.

Obtenção de métricas e análise de resultados

Por trabalhar de forma bastante segmentada, as métricas do fluxo de nutrição tendem a serem mais assertivas e detalhadas do que as de campanhas de e-mail marketing.

Enquanto o e-mail marketing foca em taxas de abertura e cliques, o fluxo de nutrição levanta métricas mais relacionadas às vendas, como a qualidade dos leads que passam para a área de vendas, a velocidade com que eles avançam no funil, a quantidade de leads que estão em fluxos de fundo de funil,  o custo de aquisição de clientes (CAC), entre outros.

Essas métricas do fluxo permitem uma análise de resultados mais focada no impacto que essa estratégia de marketing tem sobre as vendas da empresa.

E-mail marketing ou fluxo de nutrição? O que é melhor para a minha empresa?

É preciso ficar claro que e-mail marketing e fluxo de nutrição são ferramentas diferentes, mas ambas são importantes para o seu negócio.

Elas devem ser trabalhadas juntas dentro da estratégia de marketing digital, o fluxo como uma ferramenta contínua e que acompanha o lead durante todo o funil de vendas e o e-mail marketing para campanhas mais pontuais.

Outra questão é o tamanho da sua base de leads. Uma base pequena pode funcionar bem com e-mail marketing, desde que seja feita a segmentação, mas em bases maiores, o fluxo de nutrição é a melhor estratégia.

Você utiliza e-mail marketing ou fluxo de nutrição na sua empresa? Qual a sua experiência com estes ferramentas? Compartilhe seu ponto de vista conosco nos comentários.

Adicionar comentário

Show Buttons
Share On Facebook
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Hide Buttons