E-mail marketing: boas práticas para manter uma boa reputação online

E-mail marketing: boas práticas para manter uma boa reputação online

O Marketing Digital tem sido cada vez mais influente nos negócios empresariais. Empresas recém-construídas, ou até mesmo as mais antigas, sempre buscam aprimorar o modo como serão reconhecidas e como vão atrair os clientes certos e que confiem em seu trabalho.

A melhor forma de divulgação hoje em dia passa por uma ferramenta on-line. Uma das mais eficientes é o e-mail marketing, ele consiste na utilização do e-mail da empresa como um bom mecanismo de marketing direto, com posteriores análises gráficas e relatórios. O processo proporciona uma campanha mais direcionada e otimizada.

Que tal fazer um ótimo e-mail marketing? Veja a seguir algumas boas práticas para manter uma boa reputação on-line.

Não faça SPAM

O SPAM é visto como algo indesejável, em que não pedimos para receber aquele material. Sempre aparecem alguns e-mails indesejados em nossa caixa de correio eletrônico, geralmente são ações promocionais ou propagandas de produtos de que não necessitamos e desconhecemos.

Para adotar boas práticas de e-mail marketing, o processo precisa ser bem diferente. Nesse caso, é essencial ter o consentimento do cliente montando uma lista quente (chamada de ”opt-in”) para receber informações relacionadas aos produtos oferecidos pela empresa.

Este consentimento pode acontecer de formar explícita, quando o cliente notifica a empresa pelo preenchimento de um formulário, por exemplo. Mas pode também ser algo implícito, quando há comum e evidente relação entre as partes.

O e-mail marketing também se diferencia do SPAM por permitir ao destinatário a opção de se descadastrar a qualquer momento da lista de envio pela qual recebeu o e-mail. Isso se chama “opt-out”.

O Código de Autorregulamentação para a Prática de E-mail Marketing diz que o remetente deverá disponibilizar ao destinatário sua política de opt-out. Deve ainda informar o prazo de remoção do seu endereço eletrônico da base de destinatários, que não poderá ser superior a 2 dias úteis, quando solicitado diretamente pelo link de descadastramento do e-mail marketing e 5 dias úteis quando solicitado por outros meios.

Faça a correta mensuração de sua campanha

Há tempos a Internet é usada como fonte e renda para microempreendedores, médias empresas e até mesmo grandes corporações, como a Apple e a Microsoft. Mas poucos sabem que uma das razões para o sucesso de uma campanha é a mensuração dos resultados.

Há métricas que devem ser continuamente conferidas. Uma delas é a taxa de abertura, que vai indicar quantos destinatários abriram ou não as mensagens. O e-mail enviado normalmente orientará o leitor para fazer alguma ação. Por isso, a taxa de cliques também será importantíssima, de modo que você será capaz de entender se muitas ou poucas pessoas estão clicando em suas ofertas.

A taxa de rejeição corresponde ao fato de que muitos consumidores não reagem bem aos seus conteúdos. É necessário, portanto, mudar sua abordagem ou proposta, a fim de não lesar mais a reputação da empresa. A taxa de cancelamentos é também relevante para entender a frequência e a quantidade de pessoas que abandonam sua lista de contatos.

Analisar correta e continuamente as métricas permite que você melhore a segmentação das campanhas e alcance maior retorno das iniciativas em e-mail marketing. Além de um melhor custo-benefício, você com certeza manterá a boa reputação online e aperfeiçoará as práticas de e-mail marketing.

Pense bem na linha do assunto

O e-mail não deve ser tão extenso mas, ao contrário, deve ser bem focado no assunto que você quer tratar. O leitor vai prestar mais atenção, diminuindo as chances de abandono dos conteúdos enviados.

O adequado desenvolvimento do tema permite que você tenha melhor resultado da taxa de cliques nos links de call-to-action (CTA). Isso porque o leitor vai entender perfeitamente sua linha de raciocínio e abordagem, então seja breve e conciso.

Não se esqueça do design de seu e-mail marketing

Um visual ruim é pouco convidativo e não traduz profissionalismo para a sua mensagem. O design deve ser muito bem pensado, a fim de diminuir as taxas de rejeição e cancelamento. O design ajuda o destinatário a encontrar melhor os textos e facilita a leitura do e-mail. Não se esqueça de incluir imagens no corpo do e-mail.

Se for preciso adote templates já feitos ou conte com a ajuda de agências especializadas na ferramenta, para que acentue as melhores práticas de e-mail marketing.

Se você gostou do texto e quer receber mais dicas sobre marketing, acompanhe nossa página no Facebook e receba sempre atualizações de novos posts!

Quais são os segredos das landing pages que convertem?

Quais são os segredos das landing pages que convertem?

As landing pages são ótimos recursos para “isolar” um usuário e fazer um contato direto para que ele realize uma ação. Podendo ir de uma subscrição na newsletter a uma compra, é fato que essas páginas ajudam os resultados.

Entre as que convertem, o segredo é bem simples: todas impulsionam o cliente a agir — preferencialmente, a favor do que a campanha de marketing prevê. Embora isso seja fácil de assimilar, há alguns truques escondidos que ajudam a formar esse segredo. Para desvendar todos, veja o que pode ajudar esse elemento da sua estratégia a ser um sucesso.

A inexistência de distrações nas landing pages

Quando uma pessoa chega a uma página desse tipo, ela está a um passo de tomar a decisão que é tão aguardada. Porém, por mais próxima que ela esteja de fazê-lo, a porta ainda não foi atravessada. Ou seja, há um fino equilíbrio e qualquer distração, por menor que pareça, pode levar o (possível) cliente para bem longe da conversão.

É por isso que as landing pages de sucesso eliminam as distrações ao máximo. Elas não têm um excesso de elementos, não contam com botões de redes sociais e nem mesmo com um atalho para voltar para a página inicial. De certo modo, funcionam como becos sem saída, dificultando que o usuário mude de página sem prejudicar sua experiência. Com isso, há chances maiores de conseguir a conversão.

A clareza de direcionamento

Por falar nisso, qual é o objetivo da sua landing page? O que significa dizer que um cliente, enfim, converteu? Responder a essas perguntas é indispensável para se equiparar àquelas páginas que convertem. O motivo é que somente assim é possível criar um direcionamento claro e que aponte o que o cliente deve fazer.

Uma landing page muito longa, cheia de textos, de informações ou, pior, de botões só deixará a pessoa em dúvida sobre o que deve ser feito. O mesmo vale para muitos redirecionamentos de página ou para aquelas com formulários muito longos. Em vez disso, o ideal é criar páginas limpas, com botões específicos e ações simplificadas que funcionam como verdadeiras setas de neon apontando para o objetivo desejado.

O uso de gatilhos mentais

Converter um cliente em uma página desse tipo é, de certo modo, vender, nem que seja uma ideia. Mesmo um teste gratuito de software ou um agendamento sem compromisso com um consultor, exigem que o cliente se sinta confiante, confortável e persuadido em agir.

É nesse momento que entram os gatilhos mentais. Graças a eles, é possível garantir que os usuários se sintam mais inclinados, ainda que inconscientemente, a realizar uma ação. O uso da prova social é um bom exemplo. Ao apresentar depoimentos de pessoas satisfeitas ou demonstrar cases de sucesso, é provável que o usuário se sinta compelido a tomar uma ação e ter os mesmos benefícios dos demais.

A aplicação de vídeo

Dentro da estratégia digital, o vídeo tem ganhado cada vez mais importância. Devido à sua facilidade de assimilação do que está sendo dito e de seu apelo altamente visual, é um formato favorito de muita gente.

Isso é tão significativo que muitas landing pages que convertem já aproveitam essa característica e trazem um vídeo. Por exemplo, algum explicativo ou de demonstração. É algo que funciona comprovadamente. Ao acrescentar vídeos a esse endereço as conversões podem aumentar incríveis 86%, melhorando muito a rentabilidade e o retorno da estratégia.

Conhecendo os elementos do segredo das landing pages de sucesso, ficará muito mais fácil aplicá-los em sua abordagem. A partir daí, basta acompanhar a tão desejada melhora dos resultados!

Se você quer entender mais sobre conteúdos de marketing, siga nossa página no Facebook e fique sempre atualizado com as nossas publicações!

O que é Lead Scoring em uma estratégia de Inbound Marketing?

O que é Lead Scoring em uma estratégia de Inbound Marketing?

Ter uma boa estratégia de Inbound Marketing atrai um grande número de interessados. Porém, somente gerar leads não é o bastante, pois o objetivo é converter vendas e fazer dinheiro. Ao mesmo tempo, praticamente nenhum lead é igual ao outro, tendo características variadas e que influenciam a compra. Portanto, para trabalhar todo esse volume é relevante entender por qual grupo começar.

Para ajudar nessa tarefa existe o Lead Scoring, uma estratégia tão interessante quanto eficaz. Para saber mais, veja o que é essa abordagem e descubra como ela funciona.

O que é Lead Scoring dentro do Inbound Marketing?

Imagine um negócio que vende softwares e que se depara com três clientes. O primeiro é o diretor de uma empresa e tomador de decisão, mas que não entende como o software se encaixa no negócio. O segundo é um analista de TI, que sabe exatamente como a ferramenta pode ajudar, mas que não toma a decisão.

Enquanto isso, o terceiro é um empresário individual, que recebeu uma recomendação do software, mas que talvez não tenha o dinheiro necessário para fechar a venda. No momento, a equipe comercial só pode trabalhar em cima de uma oportunidade. Qual delas é a melhor? A resposta é: depende do que é mais importante para a empresa, mas ela precisa escolher corretamente para não desperdiçar uma boa chance.

Esse exemplo serve para ilustrar que os clientes não chegam prontos ao negócio e podem estar mais ou menos inclinados à compra. Para identificar e medir isso é que existe o Lead Scoring. Outro nome para a qualificação de leads, a etapa define qual é o potencial de compra de uma pessoa, baseando-se em critérios pré-determinados pela própria gestão. Ele se relaciona ao Inbound Marketing justamente porque ajuda a identificar a probabilidade de conversão em vendas das oportunidades atraídas por essa estratégia.

Por que esse processo é tão importante?

A grande importância de uma etapa de qualificação desse tipo é que ele ajuda a segmentar e direcionar os esforços. Ou seja, o time comercial não usa tantos recursos com oportunidades pouco promissoras ou que, talvez, jamais convertam por não possuírem o perfil certo.

Ao mesmo tempo, as oportunidades que já estão mais preparadas para a compra são trabalhadas com maior afinco, de modo a melhorar o desempenho da integração entre marketing e vendas. Além de tudo, é uma forma de diminuir os custos, inclusive o de aquisição de lead (CPL) e por cliente (CAC), o que melhora a rentabilidade do empreendimento e da campanha.

Como fazer a qualificação de leads?

Para colocar o Lead Scoring em prática, o primeiro passo é determinar quais são os fatores que serão considerados. Saber se a pessoa é ou não a tomadora de decisões e está presente na maior parte das abordagens, mas há várias outras questões.

A localidade, por exemplo, é mais relevante para uma loja física ou e-commerce com limitação de entrega. Já o estilo de vida pode alterar a qualificação para uma marca de roupas esportivas. Ou seja, os fatores devem ser definidos de acordo com o que leva a pessoa a fazer a compra. A partir disso, cada fator deve ter um peso.

Naturalmente, os mais importantes são mais pesados. Ser um tomador de decisão, por exemplo, talvez gere 50 pontos, enquanto ser um analista, apenas 20. O peso, novamente, é determinado individualmente para cada empreendimento e estratégia.

A partir disso, há uma soma entre todos os fatores. Assim, os leads com maior pontuação devem receber prioridade em relação aos outros, aumentando as chances de sucesso e um possível retorno sobre investimento. O Lead Scoring favorece as ações de Inbound Marketing porque permite a priorização de oportunidades pelo time comercial. Assim, fica mais fácil focar-se nos prospects promissores, gerando mais vendas e ótimos resultados.

O que acha de começar a usar esse elemento em sua estratégia? Para saber mais sobre conteúdos relacionados ao marketing siga nossa página no Facebook!

5 perguntas (e respostas) para te ajudar a entender o Inbound Marketing de vez

5 perguntas (e respostas) para te ajudar a entender o Inbound Marketing de vez

Os conceitos e a execução do Inbound Marketing não são exatamente recentes. Porém, foi nas últimas décadas em que ele começou a ganhar mais importância, sendo encarado como uma saída viável para gerar mais negócios e melhorar os resultados das empresas.

Como ele ainda é relativamente recente na realidade em larga escala, é comum que haja muitas dúvidas e mitos sobre tema. Para aproveitá-lo, é fundamental entendê-lo e é por isso que trazemos 5 perguntas e respostas para que você o compreenda de vez. Confira!

Afinal, como o Inbound Marketing é feito?

O Inbound Marketing também é conhecido como marketing de atração e, como o nome sugere, tem a ver com a abordagem em relação ao cliente. Tradicionalmente, o Outbound Marketing tem uma atuação interruptiva, ou seja, chega até ao público não necessariamente quando ele está interessado.

Um exemplo é o anúncio da TV. Ele interrompe a programação tradicional para mostrar algo que pode ou não ter a ver com os interesses de quem assiste. Porém, o fato é que a pessoa que está vendo a televisão quer assistir a um programa, em vez de ao anúncio que interrompe essa atividade.

O Inbound, por sua vez, acontece quando o cliente alcança a empresa. É o caso de uma pessoa que pesquisa um produto e termina no site de uma marca. Ela está vendo as ofertas e entrando em contato com a marca por vontade própria, tendo sido atraída pela marca.

Por que ele promete ser tão efetivo?

O fato é que essa abordagem focada na atração gera efeitos bastante desejáveis pelas marcas de vários tamanhos. Ele ajuda, por exemplo, a construir autoridade, a aumentar a percepção de marca e a ampliar o alcance.

Também contribui para a redução dos custos e aumento da efetividade de ações. Os leads gerados pelo Inbound, por exemplo, custam 60% menos do que os do Outbound. Com isso, ele é mais eficiente, ajuda na conversão e, acima de tudo, oferece economia de dinheiro e de outros recursos.

Quais são as estratégias que ele pode usar?

O Inbound Marketing é muito versátil e pode utilizar uma série de recursos diferentes. O mais conhecido é o marketing de conteúdo, focado na oferta de elementos relevantes para o público, com o objetivo de educar, esclarecer e oferecer maior segurança.

No ambiente digital, ainda é possível incluir a presença nas redes sociais, a realização de webinars, o uso de e-mail marketing e assim por diante. Já no mundo offline, a realização de eventos para o segmento de mercado é uma possibilidade, assim como a criação de experiências para possíveis clientes, tais quais as degustações e amostras grátis.

Qualquer empresa pode usar o Inbound?

Basicamente, todo empreendimento, independentemente do tamanho, pode empregar essa abordagem. Uma PME, mesmo sem ter muito dinheiro, pode investir nas abordagens mais em conta dessa metodologia, gerando bons resultados sem comprometimento de recursos. Já as grandes empresas podem potencializar sua atuação de marketing de outros tipos com essa estratégia.

Além disso, estabelecimentos de vários segmentos e em locais variados se beneficiam intensamente dessa possibilidade.

Ele é a única solução para a empresa?

Porém, é importante considerar que esse não é o único caminho. Não é porque o marketing de atração é uma ótima solução que ele resolverá todos os problemas do negócio. O balanceamento com o Outbound ainda faz mais sentido, garantindo o alcance máximo e o aproveitamento adequado das possibilidades.

Entender isso é indispensável para alinhar e assentar as expectativas, permitindo que o uso dessa abordagem seja considerado da perspectiva correta. Conhecendo essas questões sobre o Inbound Marketing e as respectivas respostas, ficará muito mais fácil compreender esse tema tão pertinente.

Para receber mais conteúdos como esse, não deixe de seguir nossa página no Facebook.

Estratégia de conteúdo para web: o que é e como fazer?

Estratégia de conteúdo para web: o que é e como fazer?

1f

O conteúdo é, para toda estratégia de marketing na web, a alma de todo o planejamento estruturado do negócio. E, ao pensar em conteúdo, temos que ir muito além do que apenas garantir presença nas redes sociais ou investir em e-mail marketing.

Atualmente, praticamente todas as estratégias de marketing na internet giram em torno de um conjunto de ações realizadas com a distribuição de conteúdo de diferentes maneiras. O principal objetivo é atingir o seu público ideal.

Deseja criar uma campanha de conteúdo para a web, mas não sabe por onde começar? Então, confira como criar o planejamento de conteúdo para web neste post!

Defina o público-alvo com o qual você quer falar

O primeiro passo de toda estratégia de marketing que você vai traçar para sua empresa é a definição do público-alvo a ser atingido com sua mensagem. Para a estratégia de conteúdo para a web, portanto, não poderia ser diferente.

A definição desse público — ou persona, como é chamada — é indispensável para que você possa saber exatamente qual tipo de conteúdo vai produzir e a maneira como vai produzi-lo. Tudo para que consiga o impacto que deseja ao divulgar a sua estratégia e seu negócio.

Pesquise por assuntos e palavras-chave relevantes

Uma vez definida a sua persona — que é a personificação do cliente com quem você vai conversar — é chegada a hora de compreender melhor o quê ela busca saber. Quais assuntos são relevantes para esse público? Como o seu negócio tem relação com o que eles estão buscando? E, o mais importante, como você poderá ajudá-lo nessa tarefa?

Toda essa etapa de planejamento e, principalmente, busca de palavras-chave ideais, vão ajudar na estrutura de um planejamento de conteúdo para a web dentro da sua estratégia.

Estruture o planejamento de conteúdo para web

Com palavras-chave e ideias em mãos, é chegada a hora de montar um planejamento de conteúdo e um cronograma para publicação de todos eles nas plataformas que sua persona geralmente se encontra. Esse planejamento vai ajudar a colocar no papel os conteúdos que você produzirá, pensando em auxiliar seus leitores em diferentes estágios do processo de conhecimento e procura por seus serviços.

A escolha dos meios de divulgação desses conteúdos (blog, redes sociais, e-mail marketing) também é feita nessa etapa, de acordo com as características da sua persona. O cronograma, por sua vez, vai ajudar a criar uma verdadeira agenda de desenvolvimento e distribuição dos conteúdos.

A intenção é organizar sua estratégia e ter uma visão geral de como ela está funcionando. Essa etapa facilitará, até mesmo, a sua análise dos resultados no futuro. Nunca deixe de contar com essa parte importante da gestão.

Não esqueça de pensar em SEO

Você já ouviu falar em SEO? O Search Engine Otimization, ou serviço de otimização de sites, é também uma estratégia indispensável para quem está estruturando uma estratégia de conteúdo para web. Ele é relevante para os textos publicados em blogs e sites, permitindo que sejam melhor ranqueados nos sites de busca, como o Google.

Pequenos detalhes de otimização do conteúdo podem ajudar no posicionamento das páginas de busca, oferecendo maiores chances de ser encontrado por sua persona na internet.

Coloque todo o seu time para atuar nessa estratégia

Uma estratégia de conteúdo para web deve contar com a participação de todo o seu time de marketing, e não somente a galera do Inbound Marketing ou da produção de conteúdo. É preciso incluir o atendimento, o time de sucesso do cliente e, até mesmo, o de vendas.

O intuito é um só: absorver o máximo de informações e oportunidades na hora de produzir um conteúdo único para a sua persona. Por isso, uma etapa importante dessa estratégia é alinhar com seu time a importância de todos para trazer bons resultados.

Sempre avalie os resultados

O que seria de uma estratégia de conteúdo web se você jamais tira um tempo na sua rotina para avaliar os resultados obtidos após um determinado período de ação?

Sem conhecer os indicadores que ajudam a compreender como a sua persona está interagindo com seu conteúdo — e como isso está sendo revertido em resultados para seu negócio —, o seu time será incapaz de promover melhoras ou persistir nos bons resultados conquistados por vocês. Por isso, é indispensável manter um olho na estratégia e o outro nesses dados valiosos.

Reconheça as vantagens para o seu negócio

Uma estratégia de conteúdo para web pode trazer diversas vantagens para o seu negócio. Além de permitir que você conheça melhor o seu público, é possível que você consiga desenvolver conteúdos mais relevantes e entregá-los da maneira certa e no momento certo para pessoas-chave para o seu objetivo final.

A sua presença de marca também se torna mais forte e valiosa com o desenvolvimento da estratégia e a expectativa, a longo prazo, é de ser capaz de transformar suas visitas e leitores em potenciais leads e clientes.

Como vimos, traçar um planejamento de conteúdo para web exige dedicação e comprometimento, não somente com a etapa do planejamento, mas também com a do desenvolvimento e, por fim, dos resultados. Com as nossas dicas, certamente, você alcançará todas as vantagens!

Você já trabalha com uma estratégia de conteúdo para a web na sua empresa? Quer começar? Então acesse o nosso site e veja como podemos ajudar o crescimento do seu negócio!

Aprenda a testar a velocidade do site e veja por que é importante deixá-lo mais rápido

Aprenda a testar a velocidade do site e veja por que é importante deixá-lo mais rápido

Com milhões de sites à disposição e estando a apenas um clique ou um toque de sair do seu endereço, é natural que os usuários queiram tudo na maior velocidade possível. Falhar em prover isso, por outro lado, pode prejudicar severamente a sua atuação digital. Por causa disso, é fundamental ficar de olho na velocidade do site, um dos fatores que mais impactam na experiência e nos resultados. Antes de tomar qualquer decisão, entretanto, é preciso reconhecer como anda a situação.

Por isso, aprenda como testar essa velocidade e entenda por que ela é tão importante.

Como testar a velocidade do site?

Para conhecer o valor desse elemento, é preciso recorrer a recursos específicos para essa função. Eles aferem, com precisão, qual é o tempo que o carregamento completo leva e oferecem uma análise sobre o que pode ser melhorado. Atualmente, há vários sites que contam com essa possibilidade. O WebPage Test, por exemplo, permite que você selecione o local de teste e até o navegador usado. Enquanto isso, o GTmetrix oferece uma análise um pouco mais complexa do endereço, indo além da sua velocidade de carregamento.

Apesar de haver outras ferramentas semelhantes, uma das melhores é o PageSpeed Insights, lançado pelo Google em 2016. Ele faz testes tanto para a versão desktop quanto para a mobile, indicando o resultado de 0 a 100. Quanto mais próximo de 100 o endereço estiver, melhor é a sua velocidade e menos modificações são necessárias para que ele fique adequado aos usuários.

Por que ela é importante?

De acordo com pesquisadores, o período de atenção (ou attention span) das pessoas é de apenas 8 segundos, contra 12 segundos nos anos 2000. Ou seja, o seu site tem menos de 10 segundos para envolver a atenção do usuário e isso inclui o carregamento. Com isso, quanto mais lento ele for, maiores são as chances de o endereço ser abandonado.

Inclusive, a velocidade do site também está ligada diretamente aos negócios. A partir dos 5 segundos, a cada segundo de carregamento há uma queda de 7% de conversão, de 11% de visualização de páginas e de 16% de satisfação dos clientes. Ou seja, um site que demora muito para carregar é malvisto pelos usuários e gera menos vendas.

Para completar, entre 2015 e 2016 o Google lançou o Accelerated Mobile Pages Project. Conhecimento como AMP, ele visa a favorecer o carregamento rápido das páginas, especialmente para ajudar usuários com conexões ruins. Embora ainda não seja um fator prioritário para SEO, a tendência é que ele seja incluído. Além disso, sites mais rápidos aumentam o tempo de permanência, ampliando a relevância e ajudando na conquista de melhores resultados de SEO.

Portanto, ter um endereço que carrega rapidamente afeta positivamente a experiência do usuário e ainda favorece o sucesso da estratégia do negócio.

Quais ações tomar para torná-lo mais rápido?

Uma vez que você tenha medido a velocidade do site, é relevante fazer otimizações para que ele se torne cada vez mais rápido. Algumas mudanças, inclusive, são bem simples e garantem ótimos efeitos.

Entre as principais ações, estão:

  • Escolha de um design leve, responsivo e funcional;
  • Compactação de códigos, como HTML e CSS;
  • Eliminação ou redução dos redirecionamentos de página;
  • Uso de imagens otimizadas para web;
  • Diminuição do uso de recursos pesados, como animações em excesso e outros.

Reconhecendo a importância que a velocidade do site tem em seus resultados, aja para melhorá-la e diminuir o tempo de carregamento. Assim, você conquistará maior satisfação dos usuários e melhorará sua atuação.

Não deixe de seguir nossa página no Facebook, assim você ficará sabendo quando tiver um novo conteúdo aqui no blog!

Google Partner Premier: O que esse selo representa na contratação de uma agência?

Google Partner Premier: O que esse selo representa na contratação de uma agência?

Você já ouviu falar em Google Partner? E Google Partner Premier? Sabe a diferença entre esses selos? Se aumentar as vendas através do marketing digital é um dos seus objetivos, então entender o que isso quer dizer vai fazer a diferença na hora de contratar um novo parceiro para esse desafio.

Para que as ações de marketing digital gerem os resultados esperados no seu faturamento a primeira dica é: busque parceiros qualificados e de confiança, capazes de pensar e agir estrategicamente e que acompanhem com agilidade as mudanças do mercado.

Mas como encontrar uma boa agência que tenha essas características? Para facilitar esse encontro, o Google criou o selo Google Partner.  Esse selo garante que a agência realizou os exames de certificação do Google Ads e possui as atualizações mais recentes sobre suas soluções. Em outras palavras, ser um parceiro é ter a chancela do próprio Google de que a agência está apta para oferecer esses serviços com qualidade.

Qual é a diferença entre Google Partner e Google Partner Premier?

O mercado de marketing digital está crescendo a todo vapor, portanto, é natural que os players desse segmento busquem estar em dia com as certificações necessárias para terem a suas marcas atreladas a gigantes do mercado. Foi aí que o Google criou um novo mecanismo de diferenciação, criando filtros para identificar quais agências se destacam mais através da performance, engajamento e vendas efetivas com seus produtos, criando assim o selo Google Partner Premier.

Ser um Partner Premier representa qualidade acima da média atestada pelo Google, ou seja, muito mais segurança para as empresas que desejam contratar parceiros para operacionalizar as suas campanhas digitais.

O Google avalia seus parceiros através de uma série de indicadores, como por exemplo:

– Mais de dois Especialistas certificados nos exames avançados do Google.

– Ter um valor significativo de investimentos vinculado entre as contas gerenciadas pela agência.

– Alta performance comprovada em resultados de campanha feitas na ferramenta, seguindo os parâmetros exigidos pelo Google.

Para o Google, o selo Partner Premier reconhece as agências que são de sua confiança para ajudar empresas a alcançarem êxito na internet com seus produtos. Além disso, esses parceiros podem contar com todo suporte de consultores especializados do Google, e também com estudos e treinamentos exclusivos fornecidos pela gigante para tornar seus parceiros realmente qualificados para atender seus clientes com excelência.

Por que contratar uma agência Google Premier?

Gerenciar uma campanha de Google Ads nem sempre é algo simples. Ou melhor, para extrair o máximo de resultados da ferramenta, por vezes exige muito conhecimento técnico aplicado. Assim, garantir que uma equipe se mantenha atualizada e apta para acompanhar cada novidade da ferramenta, seja operacional ou estrategicamente, também faz parte do suporte do Google para seus parceiros Premiers.

Contratar uma agência Premier é vantajoso, pois:

– Profissionais treinados pelo Google estarão cuidando das suas campanhas, consequentemente, fazendo os seus investimentos na plataforma renderem mais.

– A contratação de uma agência digital é feita com mais segurança, afinal, ter a indicação do Google é um fator de peso na decisão.

–  As novidades chegam primeiro para quem é parceiro. Assim, sempre que há novas funcionalidades, parceiros Premier recebem em primeira mão, aumentando as chances de potencializar as conversões de seus anunciantes.

A Target Mais é Partner Premier

A Target Mais é uma das agências de marketing digital que fazem parte do seleto grupo do Google Partner Premier. Aliás, somos a agência que conquistou esse título em menor tempo de atividade! Nossa equipe participa ativamente de treinamentos oferecidos pelo Google, assim, podemos garantir que nosso time absorva essa expertise e ofereça as melhores soluções para que o objetivo de aumentar o faturamento através do marketing digital seja uma realidade concreta.

Se você não quer mais perder dinheiro contratando agências que não estão preparadas para atender as suas necessidades, contrate uma agência indicada pelo Google, como a Target Mais.

Quer conversar com um de nossos especialistas e entender as vantagens de contar com uma agência Premier na prática? Clique aqui e solicite um contato!

Entenda o que é Google AdWords e como funciona

Entenda o que é Google AdWords e como funciona

o que é Google Adwords

Se você pretende deixar sua marca, seu nome ou sua empresa aparecendo na primeira página de pesquisa do Google de uma maneira fácil e rápida, o Google AdWords é uma ferramenta de Marketing Digital com um serviço de links patrocinados pelo Google, com o objetivo de oferecer aos anunciantes os concorridos espaços na página de busca do Google.

O Google AdWords funciona como uma ferramenta de PPC (Pague Por Clique), assim como o Facebook Ads e o Buscapé. Essa ferramenta visa atrair mais clientes para o seu negócio, pois a visibilidade é muito grande e vai direto ao ponto, sem precisar fazer toda uma campanha de publicidade antes.

Mas afinal, o que é Google AdWords?

Essa ferramenta de marketing funciona através de palavras-chave relacionadas ao seu negócio.

São aquelas palavras que você espera que seus clientes busquem quando precisarem do seu serviço, por exemplo: se você possui uma confecção de camiseta, sua palavra-chave, dentre algumas, deve ser “confecção de camisetas”.

Você também deve definir seu idioma, a sua região por país ou até mesmo cidade. Exemplo: se o seu negócio está localizado em Santos, restrinja a busca no litoral sul de São Paulo ou até mesmo só na cidade de Santos. Se o seu negócio não possui localização exata, pode deixar a busca no Brasil todo.

Você também vai precisar criar seu anúncio, que poderá ser feito através de um texto curto e eficaz ou gráfico, mas precisa conter o website do seu negócio, para que os futuros clientes possam entrar em contato mais facilmente. Depois desse procedimento, você deve decidir o quanto quer pagar por clique no seu anúncio.

É importante ressaltar que você só vai pagar quando o cliente entrar na sua página e der o clique no anúncio ou ligar para a sua empresa.

O Google AdWords tem diversos benefícios, um deles é você poder optar quando e onde seu anúncio vai entrar e ser visualizado por milhões de pessoas.

É muito simples criar seu anúncio e o reconhecimento vem em curto prazo, já que você estará lidando com o cliente de maneira direta. Mas é importante seguir os passos para que dê tudo certo dentro da sua estratégia.

Ficou com vontade de utilizar essa ferramenta? A Target Mais pode atrair seu cliente ideal com nossos planos de AdWords.

O que é briefing e qual sua importância para os resultados

O que é briefing e qual sua importância para os resultados

6f

Quem trabalha no ramo do marketing e da publicidade, especialmente em agências que atendem várias contas, provavelmente já ouviu falar no termo briefing. O briefing é um termo em inglês, utilizado para classificar um resumo ou um conjunto de informações coletados sobre determinado assunto.

Para as agências e profissionais de marketing, o briefing nada mais é do que uma descrição da empresa ou marca com a qual estão trabalhando, recheado com informações sobre sua atividade profissional, seus desafios, objetivos e até mesmo recursos financeiros.

O briefing é uma ferramenta muito importante para a equipe de marketing de uma empresa. Neste artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre ele!

Papel do briefing no planejamento de uma estratégia

O briefing tem um papel essencial no planejamento de uma estratégia de marketing, seja esse traçado por uma equipe interna, seja por uma agência contratada para essa finalidade. É ele que vai ajudar esses profissionais a definirem, por exemplo, qual é a persona que será atingida com a estratégia de marketing, quais os objetivos desse planejamento, como a empresa quer se posicionar no mercado e até mesmo quanto eles podem investir em ações para esse fim.

Sem traçar um briefing adequado, fica difícil para a equipe de marketing saber como deve agir para alcançar os resultados esperados pela empresa que investiu naquele serviço.

O briefing é erroneamente subestimado em muitos planejamentos

Como afirmamos no tópico anterior, o briefing é um elemento extremamente importante da estratégia de marketing de uma empresa. Infelizmente, por não saberem a real importância desse documento, muitos clientes — e até mesmo alguns profissionais de marketing — subestimam o valor desse documento e, por esse motivo, prejudicam significativamente os resultados do planejamento de marketing traçado.

Fazer um briefing incompleto ou formular perguntas que não trazem informações suficientes para esse material, podem dificultar a criação da persona ideal que a marca quer atingir, a escolha dos meios de comunicação utilizados para divulgar a estratégia e até mesmo realizar os investimentos errados para conquistar os resultados.

Uma vez que esse, que é o primeiro passo da estratégia de marketing de uma empresa, está errado, todo o resto do planejamento ficará seriamente prejudicado, podendo não atingir as expectativas traçadas pela equipe.

Informações indispensáveis em um bom briefing

Apesar de parecer uma tarefa complicada, formular um bom briefing não é assim tão difícil quanto parece. Responder a alguns questionamentos básicos e essenciais já é suficiente para lhe dar uma boa noção de conhecimento da empresa ou marca com a qual você vai trabalhar, garantindo que você desenvolva uma estratégia que tenha relação com o que ela está esperando do seu time de marketing. Algumas sugestões de questionamentos são:

  • Qual é o histórico da empresa?
  • Qual é o objetivo do planejamento de marketing?
  • Quais são as metas a serem alcançadas?
  • Qual o orçamento disponível para as ações?
  • Qual o perfil do público alvo a ser atingido?
  • Quais as mídias que podem ser investidas?
  • O que não pode ser feito?
  • Quais são os nossos principais concorrentes?
  • Quais são os pontos fortes da marca ou empresa?
  • Existe um prazo final para entregar o resultado?

Definir um bom briefing é uma parte essencial de uma estratégia de marketing de sucesso — e uma agência de resultados pode lhe ajudar a montar esse material indispensável para alcançar seus objetivos.

Você já montou um briefing da sua empresa antes? Conte para nós quais foram seus principais desafios!

Como usar a régua de relacionamento para se aproximar de seu cliente

Como usar a régua de relacionamento para se aproximar de seu cliente

régua de relacionamento

Segundo Aaron Ross, autor do livro Receita Previsível, a melhor forma de aumentar as receitas de uma empresa é através da indicação e, consequentemente, da construção de um relacionamento com o cliente.

No entanto, essa relação não se constrói de uma hora para outra. Ao contrário, é preciso trabalhar esse relacionamento com o cliente nas várias fases de interação que ele tem com o seu negócio, desde o primeiro contato até o pós-compra, seguindo uma série de estratégias cuidadosamente planejadas, chamada régua de relacionamento.

Quer saber como utilizar essa ferramenta para se aproximar dos seus clientes e aumentar suas receitas? Leia este post e entenda como usar a régua de relacionamento para construir um bom diálogo com seus clientes, nas diferentes etapas de venda. Confira!

Entenda o que é a régua de relacionamento

A régua de relacionamento é um conjunto de ações que visam a construir um bom relacionamento com o cliente. É um passo a passo de estratégias a serem seguidas a fim de traçar uma linha de comunicação clara e objetiva entre a empresa e seus clientes — que vai desde a prospecção e geração de leads até a experiência do usuário com a sua empresa e manutenção pós-venda.

Em outras palavras, é um caminho com as fases previstas pelas quais seus clientes vão passar, desde conhecer a loja, comprar e continuar comprando.

Veja como utilizar a régua de relacionamento

Essa ferramenta envolve o uso de diversas mídias e exige uma integração entre vários departamentos da empresa, como marketing, vendas, atendimento e até desenvolvimento de produto, a fim de oferecer ao consumidor uma relação completa e muitas vezes personalizada.

Como dissemos anteriormente, a régua de relacionamento atua em todas as fases da venda, desde a prospecção até o pós-venda, e as estratégias adotadas, assim como as mídias utilizadas e a sequência dentro da régua, devem ser definidas levando em conta os objetivos e necessidades de comunicação de cada empresa.

Conheça algumas estratégias que podem estruturar a régua de relacionamento e aproximar seus clientes:

  • Produção de conteúdo relevante para blog, site, e-mail marketing e outras mídias a fim de prospectar leads via inbound marketing;
  • Contato de agradecimento pelo registro em uma newsletter, pedido ou compra. Essa é uma atitude atenciosa e que abre caminho para um diálogo saudável entre empresa e cliente;
  • Envio de ofertas segmentadas;
  • Remarketing;
  • Acompanhamento pós-venda a fim de buscar o feedback do cliente em relação ao produto e à experiência de compra na sua empresa;
  • Envio de e-mail de aniversário e datas especiais. Esse é o tipo de cuidado que todo mundo gosta e aproxima a sua marca do seu cliente de forma emocional.

Conheça a importância da régua de relacionamento para sua empresa

As empresas utilizam diferentes estratégias para realizar vendas ou prospectar um novo cliente. E a régua de relacionamento aumenta a efetividade dessas estratégias ao trabalhar com uma perspectiva das ações planejadas para cada passo do cliente dentro do processo de venda.

Além disso, é na régua de relacionamento que a empresa identifica e explora todos os pontos de contato com o cliente, possibilitando criar interações personalizadas por meio de diversos canais e mídias.

O relacionamento, diferentemente de outras estratégias de marketing que prometem resultados rápidos, não termina depois de uma compra. Ao contrário! É aí que o relacionamento deve ser fortalecido para que sua empresa não caia no esquecimento, seu cliente seja fidelizado e se torne um propagador da sua marca.

E você, já conhecia a régua de relacionamento? Tem alguma experiência com a estruturação dessa ferramenta? Compartilhe seu ponto de vista nos comentários!

Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.

Show Buttons
Share On Facebook
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Hide Buttons