Receba dicas grátis!

Aprenda a testar a velocidade do site e veja por que é importante deixá-lo mais rápido

Com milhões de sites à disposição e estando a apenas um clique ou um toque de sair do seu endereço, é natural que os usuários queiram tudo na maior velocidade possível. Falhar em prover isso, por outro lado, pode prejudicar severamente a sua atuação digital.

Por causa disso, é fundamental ficar de olho na velocidade do site, um dos fatores que mais impactam na experiência e nos resultados. Antes de tomar qualquer decisão, entretanto, é preciso reconhecer como anda a situação.

Por isso, aprenda como testar essa velocidade e entenda por que ela é tão importante.

Como testar a velocidade do site?

Para conhecer o valor desse elemento, é preciso recorrer a recursos específicos para essa função. Eles aferem, com precisão, qual é o tempo que o carregamento completo leva e oferecem uma análise sobre o que pode ser melhorado.

Atualmente, há vários sites que contam com essa possibilidade. O WebPage Test, por exemplo, permite que você selecione o local de teste e até o navegador usado. Enquanto isso, o GTmetrix oferece uma análise um pouco mais complexa do endereço, indo além da sua velocidade de carregamento.

Apesar de haver outras ferramentas semelhantes, uma das melhores é o PageSpeed Insights, lançado pelo Google em 2016. Ele faz testes tanto para a versão desktop quanto para a mobile, indicando o resultado de 0 a 100.

Quanto mais próximo de 100 o endereço estiver, melhor é a sua velocidade e menos modificações são necessárias para que ele fique adequado aos usuários.

Por que ela é importante?

De acordo com pesquisadores, o período de atenção (ou attention span) das pessoas é de apenas 8 segundos, contra 12 segundos nos anos 2000. Ou seja, o seu site tem menos de 10 segundos para envolver a atenção do usuário e isso inclui o carregamento. Com isso, quanto mais lento ele for, maiores são as chances de o endereço ser abandonado.

Inclusive, a velocidade do site também está ligada diretamente aos negócios. A partir dos 5 segundos, a cada segundo de carregamento há uma queda de 7% de conversão, de 11% de visualização de páginas e de 16% de satisfação dos clientes. Ou seja, um site que demora muito para carregar é malvisto pelos usuários e gera menos vendas.

Para completar, entre 2015 e 2016 o Google lançou o Accelerated Mobile Pages Project. Conhecimento como AMP, ele visa a favorecer o carregamento rápido das páginas, especialmente para ajudar usuários com conexões ruins.

Embora ainda não seja um fator prioritário para SEO, a tendência é que ele seja incluído. Além disso, sites mais rápidos aumentam o tempo de permanência, ampliando a relevância e ajudando na conquista de melhores resultados de SEO.

Portanto, ter um endereço que carrega rapidamente afeta positivamente a experiência do usuário e ainda favorece o sucesso da estratégia do negócio.

Quais ações tomar para torná-lo mais rápido?

Uma vez que você tenha medido a velocidade do site, é relevante fazer otimizações para que ele se torne cada vez mais rápido. Algumas mudanças, inclusive, são bem simples e garantem ótimos efeitos.

Entre as principais ações, estão:

  • Escolha de um design leve, responsivo e funcional;
  • Compactação de códigos, como HTML e CSS;
  • Eliminação ou redução dos redirecionamentos de página;
  • Uso de imagens otimizadas para web;
  • Diminuição do uso de recursos pesados, como animações em excesso e outros.

Reconhecendo a importância que a velocidade do site tem em seus resultados, aja para melhorá-la e diminuir o tempo de carregamento. Assim, você conquistará maior satisfação dos usuários e melhorará sua atuação.

Nos comentários, aproveite para contar como anda esse fator do seu endereço e participe do debate!

Adicionar comentário

Show Buttons
Share On Facebook
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Hide Buttons